EUA, Washington, homem, de 36 a 45 anos, português, inglês, espanhol e francês

Leia mais

  





01/02/2010 a 15/02/2010
16/01/2010 a 31/01/2010
01/01/2010 a 15/01/2010
16/12/2009 a 31/12/2009
01/12/2009 a 15/12/2009
16/11/2009 a 30/11/2009
01/11/2009 a 15/11/2009
16/10/2009 a 31/10/2009
01/10/2009 a 15/10/2009
16/09/2009 a 30/09/2009
01/09/2009 a 15/09/2009
16/08/2009 a 31/08/2009
01/08/2009 a 15/08/2009
16/07/2009 a 31/07/2009
01/07/2009 a 15/07/2009
16/06/2009 a 30/06/2009
01/06/2009 a 15/06/2009
16/05/2009 a 31/05/2009
01/05/2009 a 15/05/2009
16/04/2009 a 30/04/2009
01/04/2009 a 15/04/2009
16/03/2009 a 31/03/2009
01/03/2009 a 15/03/2009
16/02/2009 a 28/02/2009
01/02/2009 a 15/02/2009
16/01/2009 a 31/01/2009
01/01/2009 a 15/01/2009
16/12/2008 a 31/12/2008
01/12/2008 a 15/12/2008
16/11/2008 a 30/11/2008
01/11/2008 a 15/11/2008
16/10/2008 a 31/10/2008
01/10/2008 a 15/10/2008
16/09/2008 a 30/09/2008
01/09/2008 a 15/09/2008
16/08/2008 a 31/08/2008
01/08/2008 a 15/08/2008
16/07/2008 a 31/07/2008
01/07/2008 a 15/07/2008
16/06/2008 a 30/06/2008
01/06/2008 a 15/06/2008
16/05/2008 a 31/05/2008
01/05/2008 a 15/05/2008
16/04/2008 a 30/04/2008
01/04/2008 a 15/04/2008
16/03/2008 a 31/03/2008
01/03/2008 a 15/03/2008
16/02/2008 a 29/02/2008
01/02/2008 a 15/02/2008
16/01/2008 a 31/01/2008
01/01/2008 a 15/01/2008
16/12/2007 a 31/12/2007
01/12/2007 a 15/12/2007
16/11/2007 a 30/11/2007
01/11/2007 a 15/11/2007
16/10/2007 a 31/10/2007
01/10/2007 a 15/10/2007
16/09/2007 a 30/09/2007
01/09/2007 a 15/09/2007
16/08/2007 a 31/08/2007
01/08/2007 a 15/08/2007
16/07/2007 a 31/07/2007
01/07/2007 a 15/07/2007
16/06/2007 a 30/06/2007
01/06/2007 a 15/06/2007
16/05/2007 a 31/05/2007
01/05/2007 a 15/05/2007
16/04/2007 a 30/04/2007
01/04/2007 a 15/04/2007
16/03/2007 a 31/03/2007
01/03/2007 a 15/03/2007
16/02/2007 a 28/02/2007
01/02/2007 a 15/02/2007
16/01/2007 a 31/01/2007
01/01/2007 a 15/01/2007
01/12/2006 a 15/12/2006
16/11/2006 a 30/11/2006
01/11/2006 a 15/11/2006
16/10/2006 a 31/10/2006
01/10/2006 a 15/10/2006
16/09/2006 a 30/09/2006
01/09/2006 a 15/09/2006
16/08/2006 a 31/08/2006
01/08/2006 a 15/08/2006
16/07/2006 a 31/07/2006
01/07/2006 a 15/07/2006
16/06/2006 a 30/06/2006
01/06/2006 a 15/06/2006
16/05/2006 a 31/05/2006
01/05/2006 a 15/05/2006
16/04/2006 a 30/04/2006
01/04/2006 a 15/04/2006
16/03/2006 a 31/03/2006
01/03/2006 a 15/03/2006
16/02/2006 a 28/02/2006
01/02/2006 a 15/02/2006
16/01/2006 a 31/01/2006
01/01/2006 a 15/01/2006
16/12/2005 a 31/12/2005
01/12/2005 a 15/12/2005
16/11/2005 a 30/11/2005
01/11/2005 a 15/11/2005
16/10/2005 a 31/10/2005
01/10/2005 a 15/10/2005

VOTAÇÃO
Dê uma nota para meu blog




"Crônicas de Nárnia" terá pré-estréia com príncipe Charles

 

No próximo dia 7, o filme "Crônicas de Nárnia" será exibido para o príncipe Charles e sua mulher, a duquesa da Cornuália Camila, em pré-estréia no Royal Albert Hall, em Londres. O filme, que pretende ser "O Senhor dos Anéis" deste ano e aproveitar o vácuo deixado pelo último Harry Potter entre as crianças menores, tem estréia mundial (Brasil inclusive) no dia 9, sexta que vem.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 12h32
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ainda Michael Jackson

 

Definitivamente, não é a semana (ou o mês, ou o ano, ou a década) do cantor. Segundo outro tablóide, desta vez irlandês, a ex-enfermeira Debbie Rowe disse que os dois filhos que gerou para Michael Jackson foram concebidos em proveta com esperma de um banco de esperma, não do músico. Assim, Prince Michael Jr., 8, e Paris, 7, não seriam filhos naturais de MJ, diz o "Sunday World".



Escrito por Sérgio Dávila às 12h24
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Polícia acha cocaína em Michael Jackson, diz tablóide britânico

 

Segundo o tablóide sensacionalista britânico "The Sun", a polícia da Califórnia está investigando denúncia de que a polícia teria encontrado traços de cocaína na calça de Michael Jackson. O músico estaria ainda viciado em analgésicos e antidepressivos --o cantor chegaria a tomar 40 pílulas por dia, diz o tablóide. As drogas foram achadas, segundo o jornal, quando o rancho de Jackson, Neverland, sofreu busca policial em 2003, ainda como parte da investigação que levou ao processo de pedofilia, do qual o músico foi inocentado em junho deste ano. Quem comanda a nova investigação é o mesmo promotor que há dez anos vem tentando levar MJ à cadeia, Tom Sneddon, diz o Sun.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 12h16
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ainda Sundance 2006 - Final

 

A relação detalhada você encontra aqui. São 120 filmes, 84 dos quais premieres mundiais, 18 premieres na América do Norte e 15 premieres nos Estados Unidos. Participam filmes de 29 países e 48 diretores estreantes. Os filmes foram selecionados entre 3.148 inscrições, dos quais 1.764 eram americanos e 1.384, do resto do mundo. O festival, criado por Robert Redford, acontece em Park City (Utah), de 19 a 29 de janeiro.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 09h43
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ainda Sundance 2006 - Mostra competitiva - Documentários

"American Blackout," by Ian Inaba, a look at alleged efforts to suppress the black vote in Florida and Ohio during the 2004 presidential election - and at the career of Rep. Cynthia McKinney, D-Ga., a staunch critic of the Bush administration who was targeted by GOP strategists.

"Crossing Arizona," by Joseph Mathew, telling stories unfolding amid the illegal-immigration crisis.

"God Grew Tired of Us," by Christopher Quinn, about the new lives of four Sudanese refugees in America.

"Ground Truth: After the Killing Ends," by Patricia Foulkrod, about how American soldiers are trained for combat in Iraq - and how little is spent helping them adjust after they get home.

"Iraq in Fragments," by James Longley, a look at modern Iraq in three chapters: war, occupation and ethnic tension.

"A Lion in the House," by Steven Bognar and Julia Reichert, a look at five families whose children are battling cancer.

"Small Town Gay Bar," by Malcom Ingram, about a watering hole and gathering place in the deep South.

"So Much So Fast," by Steven Ascher and Jeanne Jordan (who won awards at Sundance 1996 for "Troublesome Creek"), about a man diagnosed with ALS (Lou Gehrig's Disease), his brother's obsession with finding a cure, and the woman falling in love with him.

"Thin," by Lauren Greenfield, following four women in a Florida facility for people with eating disorders.

" 'Tis Autumn: The Search for Jackie Paris," by Raymond de Felitta, about the rise and fall of a '50s jazz vocalist.

"The Trials of Darryl Hunt," by Ricki Stern and Annie Sundberg, tracing the case of a black man wrongly convicted of raping and murdering a white woman.

"TV Junkie," by Michael Cain, about a man who may have found his purpose in life, after recording 5,000 hours of video.

"An Unreasonable Man," by Henriette Mankel and Stephen Skrovan, a portrait of Ralph Nader, from consumer advocate to public pariah. Articles

"Wide Awake," by Alan Berliner, in which the filmmaker deals with his own insomnia. "Wordplay," by Patrick Creadon, a look at The New York Times crossword puzzle and its editor Will Shortz.

"The World According to Sesame Street," about Linda Goldstein Knowlton and Linda Hawkins Costigan, about how the children's show's influence has spread internationally - and has adapted to world audiences.



Escrito por Sérgio Dávila às 09h31
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ainda Sundance 2006 - Mostra competitiva - Drama

 

"A Guide to Recognizing Your Saints," in which a writer recounts growing up in 1980s Astoria, N.Y. - as his friends ended up dead, in jail or on drugs. Written and directed by Dito Montiel; starring Robert Downey Jr., Rosario Dawson, Chazz Palminteri, Dianne Wiest and Shia La Beouf.

"Come Early Morning," starring Ashley Judd as a Southern woman battling addiction and self-destructive behavior. Written and directed by Joey Lauren Adams.

"Flannel Pajamas," an intense New York love story, starring Julianne Nicholson and Justin Kirk, and written and directed by Jeff Lipsky.

"Forgiven," about a district attorney (played by the film's writer-director, Paul Fitzgerald) who, on the eve of his Senate campaign, learns that a death-row inmate he prosecuted has been exonerated.

"Half Nelson," about a junior-high teacher with a drug habit, and the student who finds out his secret. Ryan Gosling, Shareeka Epps and Anthony Mackie star. Directed by Ryan Fleck; written by Anna Boden and Fleck.

"A Hawk Is Dying," an adaptation of Harry Crews' novel about a Florida nobody who shakes up his life by training a wild red-tailed hawk. Starring Paul Giamatti, Michael Pitt and Michelle Williams; written and directed by Julian Goldberger.

"In Between Days," about a Korean immigrant who falls in love with her only friend, leading to misunderstandings. Directed by So Yong Kim, written by Kim and Bradley Rust Gray.

"Puccini for Beginners," A lesbian screwball comedy, about a New York writer on the rebound and finding herself in two complicated love affairs. Justin Kirk and Gretchen Mol star. Directed and written by Maria Maggenti, whose "The Incredible True Story of Two Girls in Love" played Sundance in 1995.

"Quincea era," about Latino teens coming of age in the gentrified Echo Park district of L.A. Written and directed by Richard Glatzer and Wash Westmoreland.

"Right at Your Door," an urban nightmare about a married couple trying to survive when "dirty bombs" spread toxic ash over a panicked Los Angeles. Starring Mary McCormack and Rory Cochrane; written and directed by Chris Gorak.

"SherryBaby," starring Maggie Gyllenhaal as a woman re-adjusting to life after three years in prison. Written and directed by Laurie Collyer.

"Somebodies," in which a black college student (played by the writer-director, the single-named Hadjii) swerves along the path to responsibility.

"Stay," written and directed by comic Bob (no longer Bobcat) Goldthwait, a dark comedy that begins with "a youthful, impulsive sexual encounter."

"Steel City," in which two brothers have to learn responsibility when their father is imprisoned for killing a woman. Starring John Heard, Tom Guiry, Clayne Crawford and America Ferrara; written and directed by Brian Jun.

"Stephanie Daley," in which a forensic psychologist, who is herself seven months pregnant, investigates why a teen is denying accusations that she concealed a pregnancy and committed infanticide. Starring Tilda Swinton and Amber Tamblyn; written and directed by Hilary Brougher.

"Wristcutters: A Love Story," which bills itself as "a comic tale about the journey through the afterlife for suicides." Starring Patrick Fugit, Shannyn Sossamon, Tom Waits and others; directed by Goran Dukic, written by Etgar Kerett.



Escrito por Sérgio Dávila às 09h28
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ainda Sundance 2006 - World Cinema - Documentários

"5 Days" (Israel), by Yoav Shamir, which follows the August evacuation of Jewish settlers from the Gaza Strip.

"Angry Monk: Reflections on Tibet" (Switzerland), by Luc Schaedler, a portrait of the rebel Tibetan monk Gendun Choephel.

"Black Gold" (United Kingdom), by Mark Francis and Nick Francis, traces coffee from an Ethiopian bean grower to your cup.

"By the Ways: A Journey With William Eggleston" (France), by Cédric Laty and Vincent Gérard, a portrait of the enigmatic "father of color photography."

"Dear Pyongyang" (Japan), by Yang Yonghi, about a Korean-Japanese woman exploring her father's fierce - and family-endangering - loyalty to North Korea.

"The Giant Buddhas" (Switzerland), by Christian Frei, an exploration of the Taliban's destruction of historic Buddha statues in Afghanistan.

"Glastonbury" (United Kingdom), by Julien Temple, a 30-year chronicle of Britain's premier music festival.

"I Is for India" (England/Germany/Italy), by Sandhya Suri, "a tale of migration and belonging" told through 40 years of audio letters and Super 8 films sent between India and England.

"In the Pit" (Mexico), by Juan Carlos Rulfo, about the workers building a second deck to Mexico City's Periférico freeway - and the legend that when a bridge is built, the devil demands one soul in exchange for keeping the bridge standing.

"Into Great Silence" (Germany), by Philip Groening, the first film ever shot inside the Grande Chartreuse, home monastery for the Carthusian Order.

"KZ" (United Kingdom), by Rex Bloomstein, a profile of the town of Mauthausen, formerly the site of a German concentration camp.

"No One" (Mexico), by Tin Dirdamal, about a Central American immigrant who encounters a nightmare in Mexico, on her way to the United States.

"The Short Life of José Antonio Gutierrez" (Germany), by Heidi Specogna, an in-depth look at the first U.S. soldier to die in Iraq - a Guatemalan street kid drawn by the promise of a green card.

"Songbirds" (United Kingdom), by Brian Hill, in which inmates of a British women's prison write and perform a musical about their lives and crimes.

"Unfolding Florence: The Many Lives of Florence Broadhurst" (Australia), by Gillian Armstrong, a portrait of a designer whose life was as flamboyant as her wallpaper prints.

"Viva Zapatero" (Italy), by Sabina Guzzanti, a colorful look at censorship in Berlusconi's Italy.



Escrito por Sérgio Dávila às 09h27
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ainda Sundance 2006 - World Cinema - Drama

"13 Tzameti" (France), in which a man follows instructions meant for someone else - only to fall into "a degenerate, clandestine world of mental chaos." Written and directed by Géla Babluani.

"Allegro" (Denmark), about a pianist, recovering from amnesia, who returns to Copenhagen only to be led back into his forgotten past. Directed by Christoffer Boe, written by Boe and Mikael Wulff.

"The Aura" (Argentina), about a taxidermist who daydreams of committing the perfect robbery - and on a hunting trip, finds the dream coming true. Written and directed by Fabi n Bielinsky ("Nine Queens").

"The Blossoming of Maximo Oliveros" (Philippines), about a young Manila man who befriends a policeman - which causes him to question his devotion to his family of small-time crooks. Directed by Auraeus Solito, written by Michiko Yamamoto.

"Eve and the Fire Horse" (Canada), about the religiously confused life of a 9-year-old Chinese-Canadian girl. Directed and written by Julia Kwan.

"Grbavica" (Bosnia-Herzegovina), a survival story for a mother and daughter in the aftermath of the Balkan war. Directed and written by Jasmila Zbanic.

"The House of Sand" (Brazil), which tells of a woman's life, over three generations, in the remote dunes of Brazil. Directed by Andrucha Waddington, written by Elena Soarez.

"Kiss Me Not on the Eyes" (Lebanon), about a dancer fighting for her artistic freedom amid Cairo's culture wars. Directed and written by Jocelyne Saab.

"Little Red Flowers" (China), a tale of being forced to "fit in" in a post-revolu- tionary orphanage. Directed by Zhang Yuan, written by Ning Dai and Zhang Yuan.

"Madeinusa" (Peru) is the title character, a girl living in an isolated Peruvian village, whose life is changed when a geologist from Lima arrives. Directed and written by Claudia Llosa.

"No. 2" (New Zealand), tells of Nanna Maria, who aims to show her family how to party, South Pacific style. Ruby Dee stars for writer-director Toa Fraser.

"One Last Dance" (Singapore), a thriller in which an assassin goes after a bunch of kidnappers - including the last kidnapper, himself. Written and directed by Max Makowski.

"The Peter Pan Formula" (South Korea), about an adolescent boy who grows up fast when his mother is in a coma - and he begins to lust after an older woman. Written and directed by Cho Chang-Ho.

"Princesas" (Spain), about two women who become friends as they fight to make ends meet. Directed and written by Fernando Leon de Aranoa.

"Sólo Dios Sabe" (Brazil/Mexico), in which a Brazilian art student meets a Mexican journalist. Directed by Carlos Bolado, written by Bolado and Diane Weipert

"Son of Man" (South Africa), which translates Jesus' life to modern South Africa - inciting revolution during a military dictatorship. Directed by Mark Dornford-May, written by Mark Dornford-May, Andiswa Kedama and Pauline Malefane.



Escrito por Sérgio Dávila às 09h26
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Outro "brasileiro" em Sundance 2006

 

Outro "brasileiro" participa da mesma mostra World Cinema do Festival de Sundance 2006: "Só Deus Sabe" (Solo Dios Sabe), uma coprodução Brasil-México dirigida por Carlos Bolado, com a brasileira Alice Braga no elenco. Ela interpreta Dolores, uma estudante que vive na Califórnia, mas é obrigada a voltar ao Brasil por acontecimentos "espirituais". O filme foi concluído no começo de novembro. No elenco, Diego Luna (de "E Sua Mãe Também). Já Bolado é autor do documentário "Promessas", premiado em 2001 na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.



Escrito por Sérgio Dávila às 09h18
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Filme de Andrucha escolhido para Sundance 2006

 

O quarto longa do brasileiro Andrucha Waddington, "Casa de Areia", está na mostra competitiva World Cinema do Festival de Sundance 2006, o mais importante do cinema independente mundial, cujos filmes participantes foram anunciados hoje. De 2004, conta a história de um desbravador (Ruy Guerra) que leva a mulher grávida (Fernanda Torres) e a sogra (Fernanda Montenegro) a uma inóspita duna no Maranhão, em 1910. O roteiro do filme já havia recebido o prêmio em dinheiro NHK, no festival do ano passado. Andrucha já esteve no festival com "Eu, Tu, Eles", de 2000. 



Escrito por Sérgio Dávila às 09h12
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Rolling Stone 1000 terá capa em 3D

 

A revista Rolling Stone prepara sua edição número 1.000 para maio do ano que vem. Terá uma capa em 3D, a primeira da grande mídia, diz a empresa. Dentro, as 1.000 pessoas mais influentes da história do rock e as 100 melhores capas, segundo os editores. A RS, que já foi fundamental, passou por fase decadente, em que apelou pras peladonas na capa, e volta a se firmar, é publicada em 11 países (a China é o mais novo a se juntar). No Brasil, vira-e-mexe ameaça fechar acordo com algum grupo nacional, para dar para trás na última hora. O país que tem música como principal produto de exportação cultural não tem revista de música que "pega".

 

 



Escrito por Sérgio Dávila às 08h15
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

O que é melhor, o livro ou sua adaptação para o cinema?

 

A revista "Time" de hoje lista seis adaptações e dá sua opinião:

Memórias de uma Gueisha - O filme é melhor.

As Crônicas de Nárnia - O livro ganha.

O mais recente Harry Potter - O filme é melhor.

The Icy Harvest (comédia natalina com John Cusack e Billy Bob Thornton) - empate.

Brokeback Mountain - O livro ganha.

Pride and Prejudice - O clássico de Jane Austen é melhor que a enésima adaptação.

 



Categoria: Li e gostei
Escrito por Sérgio Dávila às 07h39
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Coluna "Outra América" de domingo

 


27/11/2005

 
Chacoalhão para chamar a atenção

por Sérgio Dávila

O relógio está correndo. Você trabalha para uma agência de inteligência do governo. O sujeito preso aí, na cadeira em sua frente, sabe onde está escondida uma "bomba suja" em uma grande cidade, que deve detonar nas próximas horas e matar centenas e ferir milhares de pessoas inocentes. O que você faz? Tortura?

Esta pergunta, que antes de 11 de Setembro era familiar para o norte-americano comum apenas ao ver filmes como "Velocidade Máxima" e "Contagem Regressiva" (1994), "Nova York Sitiada" (1998) e "O Suspeito da Rua Arlington" (1999), ganhou verossimilhança pós-ataque terrorista.

Já como a sociedade responde a ela mudou dramaticamente desde então. Os conservadores queriam partir para o pau imediatamente, e o Ato Patriota original trazia artigo que legitimava a prática, mas não passou. Os liberais primeiro se retraíram, depois começaram a sair da toca.

O resto aqui.

 



Categoria: Eu na Folha e na Revista
Escrito por Sérgio Dávila às 07h33
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Medeio hoje "Diálogos Impertinentes" às 21h, na TV Puc - tema "A Paz"

São Paulo, segunda-feira, 28 de novembro de 2005

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

TV PAGA

"Diálogos Impertinentes" discute a paz

A REPORTAGEM LOCAL

A série "Diálogos Impertinentes", promovida pela Folha, pelo Sesc (Serviço Social do Comércio) e pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica), reúne hoje, às 21h, o filósofo e doutor em educação Alípio Casali e Denis Mizne, advogado especialista em direitos humanos e diretor-executivo do Instituto Sou da Paz.
O tema do debate, que ocorre no Tuca Arena (r. Monte Alegre, 1.024, Perdizes, tel. 0/xx/11/3670-8453) e tem exibição pela STV, é "A Paz". Os mediadores serão Mario Sergio Cortella, do departamento de teologia da PUC-SP, e Sérgio Dávila, repórter especial da Folha. Não é preciso retirar convites antecipadamente.
No mais recente programa da série, em 31 de outubro, que discutiu o tema "O Corpo", o psicólogo e professor da PUC-SP João Augusto Pompéia avaliou o papel que esse exerce na sociedade moderna.
"Ele [o corpo] se transformou em mais um produto de consumo e passou a ser considerado como objeto de cuidados. Desde os cuidados quase obsessivos com a saúde até, principalmente, os cuidados com a estética na produção de corpos perfeitos, "cada vez mais belos'", afirmou o professor, que também procurou diferenciar as seguintes expressões: "o corpo que tenho" e "o corpo que sou".
O outro participante do debate, o médico e presidente da Associação de Medicina Tradicional Chinesa, Jou Eel Jia, explicou o caráter que a filosofia oriental atribui ao corpo. "O corpo é o altar onde executamos a cerimônia da nossa vida. É um lugar de respeito. Através do corpo você eleva o espírito e chega à transcendência da consciência", afirmou.
Segundo Eel Jia, o pensamento ocidental criou um sistema de domínio da mente sobre o corpo, deixando para este a ingrata tarefa de simplesmente obedecer. O médico levantou ainda a importância da respiração e do circuito energético para o bem-estar.


Diálogos Impertinentes
Quando: hoje, às 21h no STV


Escrito por Sérgio Dávila às 07h32
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

As 100 melhores frases do cinema

 

A minha foi:

"Adoro o cheiro de Napalm pela manhã", dita pelo tenente coronel Bill Kilgore (Robert Duvall) em Apocalypse Now (1979), de Francis Ford Coppolla.

As outras estão aqui.



Categoria: Eu na Folha e na Revista
Escrito por Sérgio Dávila às 07h31
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

As 100 melhores frases do cinema

 

TV

Canal pago MGM exibe ranking do American Film Institute com cem falas eleitas por júri; vencedor é "... E o Vento Levou"


Programa lista melhores frases do cinema

BRUNO YUTAKA SAITO
DA REPORTAGEM LOCAL

"Eu te amo, porra!", dirá o sensível fã de Paulo César Pereio à sua amada. Ou então "Dadinho é o caralho, meu nome é Zé Pequeno", gritará o fã de "Cidade de Deus" em surto de empolgação.
Algumas frases e expressões saem das telas direto para a cabeça do público, espalham-se no boca-a-boca e logo se tornam um bordão, incorporados ao vocabulário popular. Ou adquirem uma dimensão tão grande que acabam se tornando resumo de um filme ("Adoro o cheiro de napalm pela manhã", de "Apocalypse Now").
Com base nessa idéia, o American Film Institute, uma das principais entidades dedicadas à cultura cinematográfica nos EUA, fundada em 1967, organizou neste ano uma votação para eleger as cem melhores frases ditas em filmes norte-americanos -todos os anos o AFI organiza alguma votação na linha "os cem melhores alguma coisa". O júri foi composto por 1.500 personalidades ligadas à área, que receberam uma listagem inicial com 400 frases.
O programa de TV resultante dessa pesquisa passa na quarta, às 19h, no canal MGM. Apresentado pelo ator Pierce Brosnan, cenas dos vencedores são mostradas, entre depoimentos de gente como Cameron Crowe e Nora Ephron.
A frase vencedora vem de "... E o Vento Levou" (veja ao lado), mas é "Casablanca" que mais vezes aparece na lista, com seis citações -a que teve colocação mais alta, quinto lugar, foi "Here's looking at you, kid" (Estão de olho em você, garota), dita por Humphrey Bogart a Ingrid Bergman.
Estão lá obviedades que, de tão integradas ao imaginário popular, já extrapolam a sala de cinema, como "Bond. James Bond" (22º lugar) e "Que a força esteja com você" (8º lugar, de "Star Wars").
Mais espetaculares são as complexas falas de "Rocky, um Lutador" ("Yo, Adrian", dita por Sylvester Stallone, 80º lugar) ou "Clube dos Cafajestes" ("Toga! Toga!", por John Belushi, 82º lugar). E a sedutora "La-dee-da, la-dee-da", dita por Diane Keaton em "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa", ficou no injusto 55º lugar.
Em escolha à parte, os críticos da Folha também indicaram suas frases prediletas.


AFI 100 Anos... 100 Frases
Quando: quarta, às 19h, no MGM

 



Categoria: Eu na Folha e na Revista
Escrito por Sérgio Dávila às 07h27
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Jenny Dávila - *1/1/1905 - +25/11/2005

 

Este blog volta a ser atualizado na segunda-feira, dia 28.11.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 20h16
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Harry Potter

São Paulo, quinta-feira, 24 de novembro de 2005

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

CRÍTICA

Longa é bom, mas não leve as crianças

SÉRGIO DÁVILA
DA REPORTAGEM LOCAL

Criticar o mais novo episódio da cinessérie baseada nos livros de Harry Potter no dia de sua pré-estréia no Brasil, depois que todos os meios de informação (este inclusive) e de semi-informação (blogs de fãs, em geral) já bombardearam seus consumidores com fatos e análises de todos os aspectos possíveis de cada vírgula e til é escrever sobre Nova York para o turista que nunca foi lá: tudo já foi dito, antes e melhor.
Ainda assim, há novidades.
A de "Harry Potter e o Cálice de Fogo" é a seguinte: não leve as crianças abaixo de 12 anos, nem acompanhadas (elas) nem amarrado (você). Eu fiz essa besteira. Fui com meus dois sobrinhos, Pedro, 12, e Gabriel, 7. O primeiro adorou; o segundo gostou, menos, mas saiu chocado, ficou pensativo e verteu uma única lagriminha que me dói até hoje.
Dos quatro filmes, este é o mais violento e adulto. Há mãos decepadas, insinuações sexuais e a morte gratuita de um personagem inocente. Há a tão esperada "personificação" de Voldemort (vivido com fúria por Ralph Fiennes, ainda que sem nariz), numa cena em que os menorzinhos na sala fechavam os olhos de pavor.

O resto aqui.



Categoria: Eu na Folha e na Revista
Escrito por Sérgio Dávila às 10h52
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

A volta do mala

 

O pateta do Gilbert Cates, o Gil Cates, aquele que enxovalhou o uruguaio Jorge Drexter e sua música para "Diários de Motocicleta" no Oscar do ano passado, foi confirmado como produtor da cerimônia do Oscar 2006. Espere bobagens como o dueto de Antonio Bandera e Carlos Santana.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 20h11
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Oscar é gay

 

Philip Seymour Hoffman como "Capote", Jake Gyllenhaal e Heath Ledger, os caubóis gays de "Brokeback Mountain", Cillian Murphy travestido em "Breakfast em Plutão", Felicity Huffman (de "Desperate Housewifes) como um homem que quer virar mulher em "Transamérica", Peter Sarsgaard e Campbell Scott, o casal de "Dying Gaul". Gay é moda na nova temporada e deve dominar as indicações ao Oscar 2006, diz o NYTimes.



Categoria: Li e gostei
Escrito por Sérgio Dávila às 10h19
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Madeleine Peyroux hoje em SP

São Paulo, quarta-feira, 23 de novembro de 2005

Próximo Texto | Índice

MÚSICA

A grande vocalista de jazz de sua geração, norte-americana Madeleine Peyroux, 31, mostra sua voz à Billie Holiday

SP recebe "filha" da mãe de todas as cantoras

Rafa Rivas - 15.jul.2005/France Presse
A norte-americana Madeleine Peyroux, que se apresenta hoje em São Paulo e deve calcar repertório em seu 2º CD, "Careless Love"


SÉRGIO DÁVILA
DA REPORTAGEM LOCAL

A Madeleine Peyroux que se apresenta hoje em São Paulo este crítico assistiu no fim de maio deste ano no Festival de Jazz de Primavera de San Francisco, na Califórnia, em duas noites batizadas "Vocalistas Visionárias".
(Em outra data, o mesmo evento receberia a grande Shirley Horn, morta em outubro último, em um de seus derradeiros shows; a única diva do jazz viva cantou e tocou piano já numa cadeira de rodas; foi inesquecível.)
Era a Madeleine Peyroux pré-"sumiço". Era também a Madeleine Peyroux pós-"ruas". Pré-"sumiço": em agosto, a cantora desapareceu em meio a uma agenda apertada de shows. A Universal, sua gravadora, contratou um detetive particular para descobrir seu paradeiro. Depois, divulgou que ela não agüentou o ritmo do sucesso e saiu em busca do eixo.
Pós-"ruas": era a primeira apresentação só dela e banda para uma platéia "de verdade", num festival de jazz "de verdade", segundo palavras da própria. De lá, ela disse, começaria uma turnê nacional e depois internacional -daí nós aqui no Brasil.
Até então -e aquela noite foi a transformação, ao vivo-, ela ainda trazia a voz, os trejeitos e o olhar pidão dos músicos de rua, habituada que era a tocar para encher o chapéu. Antes de começar a primeira música, disse, sem graça: "Quanta gente!". Depois, emendou: "Quanto silêncio!".

O resto aqui.

O serviço aqui:

Quando: hoje, às 21h30
Onde: Via Funchal (r. Funchal, 65, Vila Olímpia, tel. 3846-2300)
Quanto: de R$ 150 a R$ 350 (para estudantes, de R$ 75 a R$ 175)



Categoria: Eu na Folha e na Revista
Escrito por Sérgio Dávila às 09h27
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Participo de debate hoje (22.11), às 19h, sobre

 

Aviso aos eventuais navegantes: participo de debate hoje (22.11), a partir das 19h, sobre "Menina de Ouro", o livro e o filme, conforme noticiou gentilmente a Ilustrada:

DEBATE

DVD e livro "Menina de Ouro" são lançados

Acontece hoje, às 19h, o lançamento do DVD "Menina de Ouro" (Clint Eastwood), assim como do livro de mesmo nome que deu origem ao filme, de autoria de F.X. Toole, publicado pela Geração Editorial. Na ocasião, o jornalista da Folha Sérgio Dávila e Luiz Fernando Emediato, tradutores de duas das seis histórias do livro, conversarão sobre o autor, a obra e o filme. O evento, gratuito, acontece na livraria Saraiva do shopping Morumbi (av. Roque Petrone Jr., 1.089, piso térreo, SP, tel. 0/xx/11/5181-7574).

 



Escrito por Sérgio Dávila às 15h26
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

"Pessoa do Ano" - Final

 

Se você quiser votar, é aqui.

Se quiser saber quais foram as personalidades do ano desde 1927, quando a revista foi criada, é aqui. Tem de Hitler a Stálin, passado por Reagan, Madonna etc. Em 2001, já tomada pelo patriotismo (e depois de anos de politicamente correto), a revista deu a capa para Rudolph Giuliani. Deve estar se arrependendo até agora. O mais lógico historicamente seria Osama bin Laden (a idéia original do "Homem do Ano", como era chamado no início, era fazer o perfil da pessoa que mais notícia gerou naquele ano, sem juízos de valor --daí Hitler e Stálin, por exemplo; se a Time colocasse Osama na capa em dezembro de 2001, bancas seriam queimadas...)

  

Hitler, Stálin e Giuliani

 



Escrito por Sérgio Dávila às 15h13
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

"Pessoa do Ano": "Mãe Natureza"?

 

A revista Time ouve seus leitores e internautas para escolher quem será a "pessoa do ano" (ex-"homem do ano") de 2005. Eis as chances dos mais votados até agora:

    A Mãe Natureza / Desastres Naturais        2-1
    Mahmoud Abbas / Ariel Sharon             6-1
    Condoleezza Rice                        10-1
    O Povo Iraquiano                        10-1
    Papa John Paul 2                       10-1
    Drs. Jones, Plummer & Feldman           15-1
    Hamid Karzai                            15-1
    Patrick Fitzgerald                      15-1
    Sophia Khan                             15-1
    Dick Cheney                             20-1
    Tony Blair                              20-1
    Hilary Clinton                          25-1
    Viktor Yushenko                         25-1
    Bill Gates                              40-1
    Dan Brown                               40-1
    Donald Rumsfeld                         40-1
    Google (Page/Brin)                      40-1
    Hugo Chavez                             40-1
    J.K. Rowling                            40-1
    Lance Armstrong                         50-1
    Abu Musab al-Zarqawi                    80-1
    George W. Bush                          80-1
    George Lucas                           125-1
    Christopher Reeve                      150-1



Escrito por Sérgio Dávila às 15h03
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Entreatos - Final?

 

Hoje, João Moreira Salles responde a Cesar Maia. Diz, entre outras coisas, que:

"A reestréia de 'Entreatos' não acrescentaria muito ao público do filme. Por outro lado, produziria um insignificante sucesso de ocasião que a mim não interessa, mas interessa ao PFL do prefeito. Entre o PFL e minhas convicções, fico com as minhas convicções."

 



Escrito por Sérgio Dávila às 14h51
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ainda Entreatos

 

Aí, o prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia (PFL-RJ), escreveu um artigo no dia 17, dizendo entre outras coisas que:

"O direito de ver o que foi feito -e já exibido- é de todas as pessoas. De outra forma, estaríamos em uma situação de censura política exatamente igual a tantas outras que aqui e alhures ocorreram. Seria até o caso de exigir na Justiça a suspensão da censura, independentemente da vontade política do cineasta.
Nem quero avançar até o ponto de ter acesso a todo o material produzido, o que certamente seria um prato feito para os que analisam e investigam os fatos "mensalônicos". Mas, aí, sim, é um direito do autor, pois sua obra é o produto da edição que fez. No entanto, uma vez tornada pública, a obra é de todos, que devem ter a liberdade de a ela assistir e de sobre ela opinar."



Escrito por Sérgio Dávila às 14h49
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

O caso de Entreatos

 

Foi assim. Primeiro, no dia 24 último, o documentarista João Moreira Salles me deu entrevista dizendo que não lançaria o DVD com o filme "Entreatos", da campanha vitoriosa de Lula, como quando diz:

"Eu não quis que o filme fosse lançado no "Carnaval da Vitória" -e ali havia um impedimento concreto, eu não conseguiria montar um filme em dois, três meses, mas digamos que conseguisse-, era muito claro para mim que não seria bom para o filme que ele fosse lançado imediatamente após a vitória. Houve uma conversa de co-produção entre a VideoFilmes e a Globo, que teria sido muito bom à VideoFilmes, até como ensaio de parceria. Eu poderia ter aceitado, mas o filme seria visto de forma carnavalesca.
Com o sinal trocado, fenômeno idêntico acontece agora: uma exibição hoje é em primeiro lugar oportunista e, em segundo, produz-se uma leitura viciada do filme. Do mesmo modo que não é o "Carnaval da Vitória", como seria visto se exibido naquele momento, não acho que seja antecipatório da crise, que seria visto dessa maneira hoje.
Daí minha decisão de não relançar o filme. Tem também uma questão de lealdade. O filme foi exibido, as pessoas que quiseram assistir assistiram, e poderão assistir de novo quando for relançado em DVD no ano que vem. Então, cumpriu o seu papel. Um relançamento agora é desleal e oportunista, e você tem de ser leal com qualquer pessoa, no caso o Lula e as pessoas que estavam em torno do Lula e que foram filmadas naquele momento."



Escrito por Sérgio Dávila às 14h46
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Coluna Outra América de domingo


20/11/2005

 
EIS, ou a "Síndrome de Excesso de Informação"

por Sérgio Dávila

Não tenho diploma de médico. Minha formação é toda em humanas, apesar de ter arriscado nos últimos tempos cursos e palestras de assuntos como biotecnologia, neurologia dos primatas e até uma bobagem que falava da “psique e as emoções” da água.

De tanto conversar com médicos, por motivos profissionais (entrevistas) ou não (suspeitas de doenças que nunca se confirmaram), no entanto, me sinto à vontade para inventar minha própria doença. É uma síndrome. Se aprendi algo nestes anos todos com os homens de branco é que uma boa doença tem de ter “síndrome” no nome, ou não “pega”.

Síndrome, conjunto de sinais e sintomas que dá em algo. Assim: bico-de-papagaio é só doença, portanto é velho, ruim e “out”; Síndrome do Cansaço Crônico (CFS na sigla em inglês) é “in”. Note como a síndrome tem nome complexo, palavras em maiúscula e minúscula e sigla em inglês –sigla em inglês é fundamental.

Assim, estou com “Síndrome de Excesso de Informação” (EIS, na sigla em inglês).

O resto aqui.



Categoria: Eu na Folha e na Revista
Escrito por Sérgio Dávila às 14h39
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Marilyn - Final

 

Segundo June DiMaggio, MM não tinha tendências suicidas na época de sua morte e ela e Joe pensavam mesmo em dar uma segunda chance ao casamento --a atriz já teria escolhido o vestido e a aliança e planejava adotar um filho com o ex-jogador. De acordo com a sobrinha de Joe, sua mãe, Lee DiMaggio, estava falando ao telefone na noite de 1962 em que MM morreu. A mãe contava sempre aos parentes que Marilyn teria gritado um nome de uma pessoa conhecida e, depois, só ouviu silêncio do outro lado da linha. Esse nome a irmã de DiMaggio, já morta, levou para o túmulo, "para a segurança da família", escreve June.



Escrito por Sérgio Dávila às 03h20
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ainda Marilyn

 

Em dezembro também chega às livrarias a biografia "Marilyn, Joe & Me", escrita por June DiMaggio, sobrinha do ex-marido da atriz, a estrela de beisebol Joe DiMaggio, citada também na reportagem. Segundo June, que se descreve como "a melhor amiga de Marilyn", a estrela se lembrava com asco das sessões de sexo com figurões dos estúdios a que se submeteu até ser reconhecida como atriz. "Depois do horror de algumas sessões sexuais ela vinha para nossa casas e ficava no chuveiro por mais de uma hora. Ela queria lavar a terrível experiência pela qual tinha passado."

 



Escrito por Sérgio Dávila às 03h15
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Mais Marilyn

 

Cromatografia a gás é uma técnica forense.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 03h09
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Restos mortais de Marilyn Monroe podem ser exumados

 

Acaba de chegar às bancas dos EUA a edição de dezembro da "Playboy" americana. Na capa, Marilyn Monroe (foto feita por Bert Stern na última sessão dela, em 1962). No interior, extensa reportagem segundo a qual um dos procuradores de Los Angeles deve pedir a exumação dos restos mortais da estrela de cinema. A explicação dele (John Miner, que vem investigando o caso desde o ano da morte dela, em 1962):

"Precisamos de um inquérito, em que testemunhas sejam colocadas sob juramento, e precisamos examinar todas as discrepâncias e perguntas em aberto. Vai requerer exumar os restos mortais numa tentativa de determinar se há tecido suficiente do cólon para submetê-lo a cromatografia  a gás. Se o processo mostrar que o tecido foi exposto a barbitírocos (que viriam a ser a causa da morte oficial de MM), nós teríamos pelo menos uma resposta -- alguém a assassinou. Não acredito que a questão da identidade do assassino seja um dia resolvida, mas pelo menos teremos um diagnóstico correto, e Monroe não vai mais ser estigmatizada como uma suicida pelo resto da eternidade."

 

 



Escrito por Sérgio Dávila às 03h06
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Obrigado a todos

 

Passamos dos 200 mil em menos de dois meses. Thanks, thanks.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 02h50
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ainda Kerouac - final

 

Meses atrás, seu atual agente literário descobriu uma peça inédita num armazém em Nova Jersey escrita no mesmo ano de "On The Road", 1957. Foi lançada em livro neste mês pela Thunder Mouth´s Press. Chama-se "Beat Generation", é inacabada e usa os mesmos personagens de "On The Road. Leia trecho aqui.



Escrito por Sérgio Dávila às 11h46
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ainda Kerouac

 

Foi descoberto recentemente que Kerouac (1929-1969), aliás, sofria de demência precoce, como você também leu na Folha.



Escrito por Sérgio Dávila às 11h35
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Walter Salles já em NY filmando

 

O cineasta Walter Salles já está em Nova York filmando "On The Road - O Documentário" (o título é meu), que antecederá "On The Road - O Filme", adaptação que o brasileiro faz do clássico beat de Jack Kerouac sob as bênçãos de Francis Ford Coppola (esta última, notícia exclusiva que publiquei há algum tempo na Folha). Já entrevistou Wim Wenders, prepara-se para falar com Philip Glass e vai a Chicago entrevistar Laurie Anderson. 

Jack Kerouac em foto de Allen Ginsberg



Escrito por Sérgio Dávila às 11h32
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Saem os candidatos à vaga de melhor animação do Oscar 2006

 

São dez os indicados às três vagas, cujos ocupantes serão anunciados só no dia 31 de janeiro. Para mim, o favorito é o do Tim Burton (e eu não traduzi os títulos para o português, mas traduzo daqui a pouco):

"Chicken Little"

"Gulliver's Travel"

"Hoodwinked"

"Howl's Moving Castle"

"Madagascar"

"Robots"

"Steamboy"

"Tim Burton's Corpse Bride"

"Valiant"

"Wallace & Gromit: The Curse of the Were-Rabbit"

 



Escrito por Sérgio Dávila às 19h08
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Manderlay chega ao iPod

 

Seguindo a linha de oferecer vídeos aos milhões de portadores de suas maquininhas, a Apple anunciou que os primeiros dez minutos de "Manderlay", o segundo capítulo da trilogia americana de Lars von Trier, vão estar dispóníveis na loja virtual iTunes para download nos iPods a partir de amanhã. Quem fechou a parceria foi a independente IFC Films.



Escrito por Sérgio Dávila às 19h01
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Adam Sandler em filme sobre 11.9?

 

É o que diz a Variety. De acordo com a revista norte-americana, vai se chamar "Reign O'er Me" e terá também Don Cheadle no elenco. No filme, o comediante Adam Sandler tenta se recuperar da perda da família no Ataque Terrorista de 11 de Setembro, e Cheadle é o psiquiatra que tenta ajudá-lo a superar o trauma. Parece que o boom de filmes sobre 11 de Setembro está começando: outro que anunciou recentemente que fará um longa sobre o assunto é Oliver Stone. Mas promete usar de "delicadeza", segundo disse.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 18h55
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

DVD pode ter de trazer aviso anticigarro nos EUA



 

Procuradores-gerais de 32 dos 50 Estados norte-americanos assinaram carta pedindo aos estúdios que coloquem avisos antitabagistas, como os que já constam de nossos cigarros, quando o filme em questão trouxer cenas de personagens fumando ou mostrar pacotes de cigarro. A maioria dos grandes deve aceitar o pedido, por medo de represália; já a indústria do tabaco está chiando, como era de se esperar.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 14h49
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

E chega...

 

... de Jennifer Aniston. Por hoje.



Escrito por Sérgio Dávila às 11h30
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

O.k., não é nem o primeiro topless

 

Naquela reportagem da "RS" de 1996, ela fez a seguinte foto interna:

Click to view full size image



Escrito por Sérgio Dávila às 11h21
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Não é a primeira vez nem na "RS"

 

Em pelo menos duas outras ocasiões, a atriz foi capa da revista "RS", três se contar a capa com o elenco de "Friends". Esta é de março de 1999:

Esta é de setembro de 2001

Jennifer Aniston-RS 878 (September 27, 2001)

Esta é com o elenco todo, de maio de 1995:

Cast of 'Friends'-RS 708 (May 18, 1995) 

 



Escrito por Sérgio Dávila às 11h00
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Não é a primeira vez

 

Os mais antigos hão de lembrar que ela já foi bem mais ousada em capa da "Rolling Stone" no auge da fama de "Friends", em novembro de 1996. Recordar é viver:

 

 



Escrito por Sérgio Dávila às 10h56
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Jennifer Aniston faz topless em capa da GQ

 

Pela primeira vez, a revista voltada para homens GQ coloca uma "mulher do ano" em sua capa de dezembro. Quem é ela? Jennifer Aniston, musa do blog. Eis as fotos.

A capa

As páginas internas



Escrito por Sérgio Dávila às 10h43
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

"Revolta dos Brasucas" - Final

Brasil é notícia recorrente, nem sempre positiva

DA REPORTAGEM LOCAL

O Brasil e os brasileiros são notícia recorrente na imprensa de Danbury, mas nem sempre em títulos ou reportagens positivos. Antes da "revolta" atual, a última aparição tinha sido uma frase desastrada, registrada pela correspondente da Folha em Nova York, Leila Suwwan, do então embaixador do país naquela região, que se despedia do cargo.
Ao comentar a política antiimigração do prefeito de Danbury, o diplomata Júlio César Gomes dos Santos conclamou líderes da comunidade brasileira a se mobilizarem e "não se misturarem com os "cucarachos'". "A maioria dos nossos é ilegal -não para nós, ilegais para eles [americanos]. Se houver retaliação, é pior para nós. Deixa os "cucarachos" lá. Não deixem que essa mistura aconteça", disse no final do mês passado.
Ele se referia a protestos contra a repressão de imigrantes ilegais em Danbury. Depois, Santos se desculparia pela "infelicidade" do uso da palavra pejorativa, que quer dizer "barata" (o inseto), em espanhol, mas diria também que sua intenção era "construtiva".

O resto aqui.



Categoria: Eu na Folha e na Revista
Escrito por Sérgio Dávila às 09h33
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

"Revolta dos Brasucas" - 2

ESTRANHOS NO PARAÍSO

Comerciantes se acusam, jornais se atacam e até o procurador-geral do Estado entra no caso


"Guerra" envolve lojas, candidata e cônsul

DA REPORTAGEM LOCAL

O clima de guerra entre os imigrantes de Danbury não se restringe aos três jornais voltados à comunidade local ou mesmo à simplificação de brasileiros de um lado e Celia Bacelar, sua filha e a "Tribuna" de outro. Envolve pelo menos duas outras empresas, o procurador-geral do Estado, uma candidata brasileira ao equivalente local da Câmara Municipal e até o recém-empossado cônsul brasileiro em Nova York.
Por partes. O flagrante de indicação de venda de carteira de habilitação ilegal por uma funcionária brasileira da Interpoint Travel foi gravado pelo repórter Alan Cohn, do Channel 8. O proprietário da empresa, Alencar Castello, se defende: "Parece sem sentido que o repórter tenha vindo diretamente à minha loja e só à minha loja", diz ele, para depois atacar.
Segundo Castello, em 5 de outubro, sua ex-sócia, Dilemar Oliveira, da Dila's Travel, teria ligado para ele e dito que daria até o fim da semana para parar de vender carteiras de habilitação internacionais, uma atividade legal e reconhecida pelos EUA. "Caso contrário", afirmou Castello, "ela iria à polícia e alegaria que minhas carteiras eram todas falsas".
O resto aqui.



Categoria: Eu na Folha e na Revista
Escrito por Sérgio Dávila às 09h32
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

"Revolta dos Brasucas" nos EUA - 1

ESTRANHOS NO PARAÍSO

Dona de jornal voltado à comunidade em cidade próxima a NY e a filha sofrem ameaças de compatriotas


"Revolta dos brasucas" agita cidade dos EUA

SÉRGIO DÁVILA
DA REPORTAGEM LOCAL

Há uma "revolta de brasileiros" em curso em uma pequena cidade norte-americana. De um lado, parte da comunidade de imigrantes ilegais, a maior em proporção nos EUA. De outro, a dona de um dos três jornais locais voltados a essa comunidade e sua filha.
O palco da revolta é Danbury, a uma hora de Manhattan, cidade-dormitório no Estado de Connecticut onde vivem nova-iorquinos endinheirados e um dos dez principais destinos dos imigrantes brasileiros ilegais nos EUA, que encontram emprego fácil como mão-de-obra não-especializada. Dos 75 mil habitantes da cidade, estima-se que entre 15 mil e 20 mil sejam do Brasil -ou entre 20% e 22,5% da população.
Há duas semanas, quando a cidade vivia a campanha para prefeito, a brasileira Emanuela Lima, 22, editora-executiva do jornal quinzenal "Tribuna", o único bilíngüe português-inglês, cuja publisher é sua mãe, Celia Bacelar, 45, foi uma das entrevistadas em reportagem do telejornal do Channel 8, afiliado à ABC, uma das maiores emissoras dos EUA.

O resto aqui.



Categoria: Eu na Folha e na Revista
Escrito por Sérgio Dávila às 09h30
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]