EUA, Washington, homem, de 36 a 45 anos, português, inglês, espanhol e francês

Leia mais

  





01/02/2010 a 15/02/2010
16/01/2010 a 31/01/2010
01/01/2010 a 15/01/2010
16/12/2009 a 31/12/2009
01/12/2009 a 15/12/2009
16/11/2009 a 30/11/2009
01/11/2009 a 15/11/2009
16/10/2009 a 31/10/2009
01/10/2009 a 15/10/2009
16/09/2009 a 30/09/2009
01/09/2009 a 15/09/2009
16/08/2009 a 31/08/2009
01/08/2009 a 15/08/2009
16/07/2009 a 31/07/2009
01/07/2009 a 15/07/2009
16/06/2009 a 30/06/2009
01/06/2009 a 15/06/2009
16/05/2009 a 31/05/2009
01/05/2009 a 15/05/2009
16/04/2009 a 30/04/2009
01/04/2009 a 15/04/2009
16/03/2009 a 31/03/2009
01/03/2009 a 15/03/2009
16/02/2009 a 28/02/2009
01/02/2009 a 15/02/2009
16/01/2009 a 31/01/2009
01/01/2009 a 15/01/2009
16/12/2008 a 31/12/2008
01/12/2008 a 15/12/2008
16/11/2008 a 30/11/2008
01/11/2008 a 15/11/2008
16/10/2008 a 31/10/2008
01/10/2008 a 15/10/2008
16/09/2008 a 30/09/2008
01/09/2008 a 15/09/2008
16/08/2008 a 31/08/2008
01/08/2008 a 15/08/2008
16/07/2008 a 31/07/2008
01/07/2008 a 15/07/2008
16/06/2008 a 30/06/2008
01/06/2008 a 15/06/2008
16/05/2008 a 31/05/2008
01/05/2008 a 15/05/2008
16/04/2008 a 30/04/2008
01/04/2008 a 15/04/2008
16/03/2008 a 31/03/2008
01/03/2008 a 15/03/2008
16/02/2008 a 29/02/2008
01/02/2008 a 15/02/2008
16/01/2008 a 31/01/2008
01/01/2008 a 15/01/2008
16/12/2007 a 31/12/2007
01/12/2007 a 15/12/2007
16/11/2007 a 30/11/2007
01/11/2007 a 15/11/2007
16/10/2007 a 31/10/2007
01/10/2007 a 15/10/2007
16/09/2007 a 30/09/2007
01/09/2007 a 15/09/2007
16/08/2007 a 31/08/2007
01/08/2007 a 15/08/2007
16/07/2007 a 31/07/2007
01/07/2007 a 15/07/2007
16/06/2007 a 30/06/2007
01/06/2007 a 15/06/2007
16/05/2007 a 31/05/2007
01/05/2007 a 15/05/2007
16/04/2007 a 30/04/2007
01/04/2007 a 15/04/2007
16/03/2007 a 31/03/2007
01/03/2007 a 15/03/2007
16/02/2007 a 28/02/2007
01/02/2007 a 15/02/2007
16/01/2007 a 31/01/2007
01/01/2007 a 15/01/2007
01/12/2006 a 15/12/2006
16/11/2006 a 30/11/2006
01/11/2006 a 15/11/2006
16/10/2006 a 31/10/2006
01/10/2006 a 15/10/2006
16/09/2006 a 30/09/2006
01/09/2006 a 15/09/2006
16/08/2006 a 31/08/2006
01/08/2006 a 15/08/2006
16/07/2006 a 31/07/2006
01/07/2006 a 15/07/2006
16/06/2006 a 30/06/2006
01/06/2006 a 15/06/2006
16/05/2006 a 31/05/2006
01/05/2006 a 15/05/2006
16/04/2006 a 30/04/2006
01/04/2006 a 15/04/2006
16/03/2006 a 31/03/2006
01/03/2006 a 15/03/2006
16/02/2006 a 28/02/2006
01/02/2006 a 15/02/2006
16/01/2006 a 31/01/2006
01/01/2006 a 15/01/2006
16/12/2005 a 31/12/2005
01/12/2005 a 15/12/2005
16/11/2005 a 30/11/2005
01/11/2005 a 15/11/2005
16/10/2005 a 31/10/2005
01/10/2005 a 15/10/2005

VOTAÇÃO
Dê uma nota para meu blog




Agora, Afeganistão é a guerra de Obama



Escrito por Sérgio Dávila às 18h42
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

O melhor resumo do orçamento de Obama



Escrito por Sérgio Dávila às 00h35
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

E Seinfeld volta à TV, 11 anos depois

 

Nem só notícias ruins saem daqui dos EUA: o comediante Jerry Seinfeld volta à TV 11 anos depois de terminada a melhor série cômica de todos os tempos, que levava seu sobrenome. Será à mesma NBC que o abrigou por nove anos, agora com um quase-reality-show sobre o casamento. "The Marriage Ref" (o juiz do casamento) trará celebridades, comediantes e estrelas do esporte dando palpites e dicas a casais de verdade que passam por problemas de relacionamento --tudo com muito humor.

As palavras "reality-show" (eles não tinham sido banidos com o fim da Era Bush?), celebridades e estrelas do esporte na mesma frase causam calafrio nesse blogueiro, mas Jerry Seinfeld merece o benefício da dúvida. Em parceria com Ellen Rakieten, do Oprah Winfrey Show (outro calafrio), a série ainda não tem data de estréia nem dia da semana definidos.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 02h50
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Banqueiros viram "Geni" do governo Obama

Ouça meu podcast na Folha Online.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 02h44
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Dois negros, um indiano: o novo rosto dos EUA

 

Se, no geral, o primeiro discurso de Barack Obama ao Congresso norte-americano na noite de hoje foi uma mistura de peça de ficção (como em geral são essas ocasiões) com tentativa de acalmar o público pelo tumulto financeiro e atribuir parte da culpa pela crise atual à administração anterior (o que é justo), é preciso notar algumas novidades importantes.

Entre elas o "novo rosto" dos Estados Unidos de que tanto se fala, hoje historicamente apresentado ao mundo. Se algo ocorresse ao presidente e os presentes no Congresso (legisladores, todo o ministério, toda a Suprema Corte), quem ficou em local não-revelado e foi designado para assumir o comando do país era o secretário da Justiça, Eric Holder, negro como Obama, o primeiro da história em seu cargo, como Obama.

Não só: quem fez o tradicional discurso-réplica a Obama foi Bobby Jindal, o governador de origem indiana da Lousiana, idem, ibidem. Ou seja, por uma noite o rosto dos EUA foi de minorias, não branco, protestante e anglo-saxão.

De resto, o presidente fez um interessante novo apelo à "Era de Responsabilidade" que ele já mencionara em seu discurso de posse. Como nesse trecho (veja a íntegra em inglês aqui): "Se formos honestos, iremos admitir que, por tempo demais, nem sempre encaramos as responsabilidades como governo ou como pessoa. Eu digo isso não para apontar culpados ou olhar para trás, mas porque é só entendendo como chegamos até esse momento que seremos capazes de sairmos dele."

Também fez sua versão da frase atribuída a Franklin Delano Roosevelt ("recessão é quando seu vizinho perde o emprego; depressão é quando você perde o seu"), reeditada por Ronald Reagan ("recessão é quando seu vizinho perde o emprego; depressão é quando você perde o seu; recuperação será quando Jimmy Carter perder o dele"). Com Obama, ficou assim: "se você não foi afetado pessoalmente por essa recessão, provavelmente conhece alguém que tem um amigo, um vizinho, um membro da família" que foi.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 00h28
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Tem série nova imperdível na TV

 

É Lie to Me, uma espécie de House em que o médico-gênio dá lugar ao analista facial-gênio. Tim Roth presta serviço para CIA, FBI, polícia local e quem mais procurar sua agência em Washington, especializada em analisar gestos, voz e reações faciais de suspeitos de crimes. Em suas apresentações, o personagem compara o caso sendo analisado com imagens e fotos de personalidades da vida real, de Barack Obama (mostrando inconscientemente o dedo médio enquanto fala de John McCain na campanha) a Bill Clinton (os vários depoimentos sobre Monica Lewinski), passando por assassinos etc.

Em duas palavras (parafraseando o saudoso Vicente Mateus)? Im-perdível.

*

Dá para ver um episódio online aqui.

(A amiga Guta me avisa que não dá para entrar do Brasil. Veja então trailer no YouTube aqui.)

 



Escrito por Sérgio Dávila às 20h43
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Um jornalista raivoso é o novo herói da crise

 

Já viu o rompante do jornalista econômico Rick Santelli na CNBC? É um dos campeões de audiência do YouTube e virou um fenômeno na linha de Joe, o Encanador. Rick, o Jornalista, explodiu no meio de um bloco sobre a crise econômica. Para ele, o que o pacote de estímulo de Barack Obama estimula na verdade é comportamento de risco, uma tese corroborada por vários economistas sérios. Acho complicado quando jornalistas expõem suas opiniões assim, aidna mais aos berros, mas vale uma olhada:

 



Escrito por Sérgio Dávila às 18h16
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Oscar: premiação previsível, cerimônia nem tanto

Veja minha análise no UOL Notícias.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 16h06
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Viral do Oscar mostra Hugh Jackman nervoso

Tentaram fingir que o vídeo tinha "vazado" na rede --essa é a natureza do viral--, mas é oficial. Ainda assim, é engraçado ver os bastidores dos ensaios do novo apresentador do Oscar, Hugh Jackman. No final, ele dá uma cutucada no pior apresentador do prêmio de todos os tempos, David Letterman, e sua hoje infame rotina "Uma-Oprah, Oprah-Uma".

 

 

 



Escrito por Sérgio Dávila às 22h21
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

"Comunicado" "vaza" vencedores do Oscar

Toda véspera de Oscar é terreno fértil para boataria. Começou a circular na Internet um suposto comunicado assinado pelo presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas com os vencedores nas 24 categorias da cerimônia de amanhã. A maior parte das escolhas é óbvia, seguindo o que dizem as bolsas de apostas. A academia, obviamente, nega a autenticidade --mas não custa dar uma olhada. E comparar com os resultados oficiais, amanhã.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 14h56
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Oscar: hora da palpitaria explícita

Veja minha análise no UOL Notícias.

 

 



Escrito por Sérgio Dávila às 14h15
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Plano de governo de Obama é governar por planos

Veja minha análise no UOL Notícias



Escrito por Sérgio Dávila às 14h12
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

E Obama, quem diria, virou sushi

Quem informa (se você lê japonês) é o site da Microsoft no Japão.



Escrito por Sérgio Dávila às 16h18
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]