EUA, Washington, homem, de 36 a 45 anos, português, inglês, espanhol e francês

Leia mais

  





01/02/2010 a 15/02/2010
16/01/2010 a 31/01/2010
01/01/2010 a 15/01/2010
16/12/2009 a 31/12/2009
01/12/2009 a 15/12/2009
16/11/2009 a 30/11/2009
01/11/2009 a 15/11/2009
16/10/2009 a 31/10/2009
01/10/2009 a 15/10/2009
16/09/2009 a 30/09/2009
01/09/2009 a 15/09/2009
16/08/2009 a 31/08/2009
01/08/2009 a 15/08/2009
16/07/2009 a 31/07/2009
01/07/2009 a 15/07/2009
16/06/2009 a 30/06/2009
01/06/2009 a 15/06/2009
16/05/2009 a 31/05/2009
01/05/2009 a 15/05/2009
16/04/2009 a 30/04/2009
01/04/2009 a 15/04/2009
16/03/2009 a 31/03/2009
01/03/2009 a 15/03/2009
16/02/2009 a 28/02/2009
01/02/2009 a 15/02/2009
16/01/2009 a 31/01/2009
01/01/2009 a 15/01/2009
16/12/2008 a 31/12/2008
01/12/2008 a 15/12/2008
16/11/2008 a 30/11/2008
01/11/2008 a 15/11/2008
16/10/2008 a 31/10/2008
01/10/2008 a 15/10/2008
16/09/2008 a 30/09/2008
01/09/2008 a 15/09/2008
16/08/2008 a 31/08/2008
01/08/2008 a 15/08/2008
16/07/2008 a 31/07/2008
01/07/2008 a 15/07/2008
16/06/2008 a 30/06/2008
01/06/2008 a 15/06/2008
16/05/2008 a 31/05/2008
01/05/2008 a 15/05/2008
16/04/2008 a 30/04/2008
01/04/2008 a 15/04/2008
16/03/2008 a 31/03/2008
01/03/2008 a 15/03/2008
16/02/2008 a 29/02/2008
01/02/2008 a 15/02/2008
16/01/2008 a 31/01/2008
01/01/2008 a 15/01/2008
16/12/2007 a 31/12/2007
01/12/2007 a 15/12/2007
16/11/2007 a 30/11/2007
01/11/2007 a 15/11/2007
16/10/2007 a 31/10/2007
01/10/2007 a 15/10/2007
16/09/2007 a 30/09/2007
01/09/2007 a 15/09/2007
16/08/2007 a 31/08/2007
01/08/2007 a 15/08/2007
16/07/2007 a 31/07/2007
01/07/2007 a 15/07/2007
16/06/2007 a 30/06/2007
01/06/2007 a 15/06/2007
16/05/2007 a 31/05/2007
01/05/2007 a 15/05/2007
16/04/2007 a 30/04/2007
01/04/2007 a 15/04/2007
16/03/2007 a 31/03/2007
01/03/2007 a 15/03/2007
16/02/2007 a 28/02/2007
01/02/2007 a 15/02/2007
16/01/2007 a 31/01/2007
01/01/2007 a 15/01/2007
01/12/2006 a 15/12/2006
16/11/2006 a 30/11/2006
01/11/2006 a 15/11/2006
16/10/2006 a 31/10/2006
01/10/2006 a 15/10/2006
16/09/2006 a 30/09/2006
01/09/2006 a 15/09/2006
16/08/2006 a 31/08/2006
01/08/2006 a 15/08/2006
16/07/2006 a 31/07/2006
01/07/2006 a 15/07/2006
16/06/2006 a 30/06/2006
01/06/2006 a 15/06/2006
16/05/2006 a 31/05/2006
01/05/2006 a 15/05/2006
16/04/2006 a 30/04/2006
01/04/2006 a 15/04/2006
16/03/2006 a 31/03/2006
01/03/2006 a 15/03/2006
16/02/2006 a 28/02/2006
01/02/2006 a 15/02/2006
16/01/2006 a 31/01/2006
01/01/2006 a 15/01/2006
16/12/2005 a 31/12/2005
01/12/2005 a 15/12/2005
16/11/2005 a 30/11/2005
01/11/2005 a 15/11/2005
16/10/2005 a 31/10/2005
01/10/2005 a 15/10/2005

VOTAÇÃO
Dê uma nota para meu blog




Por dentro, Salão Oval é maior do que parece

 

Por dentro, o Salão Oval é maior do que parece. Obama ainda não deu toques pessoais --e, se a crise econômica continuar, é pouco provável que dê tão cedo. Devolveu o busto de Winston Churchill para a Embaixada Britânica --estava emprestado a Bush desde o ataque de 11 de Setembro-- e no lugar colocou o de Abraham Lincoln. Colocou também o do ativista negro Martin Luther King. E pouco mais. O resto já estava lá, os livros, os quadros, sofás, cortinas, tudo em tons dourado-bege, um tapete redondo de lã com o brasão norte-americano.

No primeiro vídeo, você vê que eu tento desviar a câmara dos dois líderes e mostrar um pouco o escritório presidencial do democrata. Dá para ver de relance a mesa, usada por JFK e feita da madeira de um navio britânico do século 19, as fotos das filhas e da mulher, Michelle, no móvel atrás. O cenário é conhecido do mundo: é daqui que os presidentes costumam fazer seus pronunciamentos. Disse "eu tento desviar" porque, assim que desviei a câmera dos dois, um segurança veio me dizer que era proibido filmar algo mais que não o encontro...

No segundo vídeo, você vê Obama levando Lula ao carro do brasileiro, os dois acompanhados pelo tradutor do petista. Obama agradece a visita, diz que o vê em Londres, mas Lula ainda diz algo mais a ele. Depois, o presidente nos revelaria que estava pedindo mais atenção dele ao Fórum dos CEOs, que reúne empresários brasileiros e americanos e foi criado por Lula e George W. Bush e ainda não mereceu o mesmo entusiasmo do democrata. Com a saída do presidente, um repórter americano pergunta a Obama se ele já usou o novo balanço, comprado pelo primeiro-casal para as filhinhas.

Obama responde que ele mesmo não usou, mas já empurrou Malia e Sasha ali. Então, diz que eles estão planejando uma festa que reúna todos os membros do governo obamista que têm filhos pequenos. Diz que pode ser uma boa idéia convidar os jornalistas que tenham filhos pequenos também. Uma delas, ao meu lado, grita: "Eu Tenho! Eu tenho!" Aí, fala ao colega que perguntou do balanço: "Temos de blogar isso". Pois aqui está.

 Alguns detalhes do Salão Oval, até a interrupção pelo segurança

O segundo vídeo, com a saída dos dois, entra logo mais



Escrito por Sérgio Dávila às 18h25
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Crise econômica domina encontro Lula-Obama

Veja minha análise no UOL Notícias.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 17h36
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Na relação Brasil-EUA, sai o "Ponto G", entra o pepino

O encontro deveria durar uma hora de um sábado de manhã. Acabou levando duas, das quais Barack Obama e Luiz Inácio Lula da Silva gastaram meia hora apenas os dois e seus intérpretes e falaram 40 minutos à imprensa no Salão Oval, no que um veterano cinegrafista da CNN quantificou como o mais longo evento do tipo que ele cobriu na Casa Branca.

Se o parâmetro são as reuniões anteriores com os primeiros-ministros Taro Aso (Japão) e Gordon Brown (Reino Unido), os dois únicos líderes que antecederam o brasileiro em recepções na Casa Branca desde a posse do democrata, houve química entre os dois. Lula fez piadas, Obama riu e o norte-americano até pediu desculpas por falar muito.

 
 
No encontro, Lula fez piadas, Obama riu e até pediu desculpas por falar muito

Ouviu de volta, entre risos: "Na América Latina não nos assustamos com quem fala muito, todos falamos muito". Havia a preocupação entre os assessores brasileiros quanto ao primeiro encontro entre os dois líderes, que falaram antes duas vezes ao telefone. Embora tenham trajetórias historicamente semelhantes -o primeiro operário no Planalto, o primeiro negro na Casa Branca-, eles são muito diferentes.

Ou não. Obama reafirmou frase que havia dito na campanha, referindo-se a sua cor: "Sim, sou parecido com os brasileiros. Ouço que tenho alguns amigos por lá". Confirmou também que visitará o país em breve, embora não tenham "a data certa". "Não sabemos quanto tempo vamos ficar, mas essa será só a primeira visita."

Especula-se que seja logo após o 5º Encontro das Américas, em Trinidad e Tobago, que ocorre entre 17 e 19 de abril. "Mas posso lhes dizer que, como alguém que cresceu no Havaí, seria muito importante que eu vá ao menos ao Rio, onde ouvi dizer que as praias são muito bonitas." Indagado sobre se aproveitaria para visitar Manaus, hipótese aventada nos últimos dias, aproveitou para cutucar a sua oposição.

"Eu adoraria fazer uma viagem pela Amazônia", disse o democrata. "Suspeito que o Partido Republicano adoraria me ver viajar à Amazônia e talvez me perder..." Cerebral e metódico, Obama estava descontraído e brincalhão. Até quando entendeu apenas parcialmente uma graça de Lula.

Na abertura de sua declaração conjunta, o brasileiro repetira o que vem dizendo, que rezava pelo colega por conta da crise. "Rezo mais por ele do que por mim mesmo", disse. "Com apenas 40 dias de mandato [na verdade, 53 dias ontem], ter um pepino desses na mão, eu não queria estar no lugar dele."

O intérprete não traduziu a expressão tipicamente brasileira, dizendo apenas que Lula "não queria estar na sua posição". Obama riu e disse que "você soa como alguém que tem falado com minha mulher". Lula já havia arrancado risadas de George W. Bush na visita deste a São Paulo, em 2006, ao dizer que os dois países ainda não haviam chegado ao "ponto G" nas negociações.

As duas equipes trocaram presentes. A brasileira deu um prisma de pedras preciosas e recebeu uma "Constitution Box", caixa comemorativa com a Constituição norte-americana. Obama levou Lula ao carro, acompanhado só do intérprete. Ouviu atento do brasileiro um pedido por um empenho maior no Fórum dos CEOs, que reúne empresários dos dois países. Por fim, colocou as duas mãos nos ombros de Lula e disse: "Nos vemos em Londres".



Escrito por Sérgio Dávila às 17h20
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Lula e Obama "discutem definição do significado", diz Gil

Ex-ministro da Cultura do governo Lula, o músico Gilberto Gil chegou ontem à noite a Washington com a comitiva presidencial. Veio para participar de palestras, segundo disse. Indagado sobre se iria à reunião de hoje com Barack Obama na Casa Branca, disse que gostaria, mas que não era esse o objetivo. “Não sei, depende muito da questão de protocolo daqui deles”, respondeu. Gil disse esperar que a assessoria do Itamaraty esteja levantado a possibilidade de ele participar do encontro. Para o músico, os dois presidentes “vão discutir a definição do significado” de Obama.



Escrito por Sérgio Dávila às 11h40
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Caso de menino faz sombra sobre encontro Lula-Obama

Veja minha análise no UOL Notícias.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 09h45
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Biden no Chile; Obama em Manaus?

 

A Casa Branca confirma que o vice-presidente, Joe Biden, viaja ao Chile e Costa Rica no final do mês. Deve se encontrar com Lula, o britânico Gordon Brown e os presidentes do Chile, Argentina e Uruguai. É mezzo preparativo para a Cúpula das Américas, que acontece na segunda quinzena de abril em Trinidad e Tobago, mezzo preparativo para o G-20, que acontece no começo do mês que vem em Londres --e do qual participam EUA, Brasil, Argentina e Reino Unido. Na Costa Rica, o foco são encontros com líderes da América Central. Será a primeira viagem do governo Obama ao sul do México.

Aliás, na entrevista coletiva hoje cedo com o número 1 do Departamento de Estado para a América Latina, um jornalista pediu que ele confirmasse rumores que dão conta que Obama emendaria o Encontro das Américas, que vai de 17 a 19 de abril, com um pulo em Manaus. A resposta: "Quanto à viagem presidencial, é prerrogativa da Casa Branca, então eu deixo [o assunto] com eles". Até agora, a Casa Branca não confirmou nem negou. Segundo relatos anteriores de diplomatas brasileiros, o atual assessor de Segurança Nacional de Obama, o general reformado James Jones, teria recomendado a Obama que visitasse o país ainda nesse ano.

A ver... 

 



Escrito por Sérgio Dávila às 16h36
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Primeiro o presidente do sindicato, depois o presidente dos EUA

Antes de se encontrar com Barack Obama na Casa Branca, no sábado pela manhã, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva receberá o líder da AFL-CIO, a maior central sindical dos Estados Unidos, que representa 10 milhões de trabalhadores locais. O encontro acontecerá no hotel em que o brasileiro se hospedará, em Washington.

Lula se reúne com John Sweeney e dirigentes sindicais às 10h locais (11h de Brasília). Uma hora depois, será recebido na Casa Branca pelo presidente democrata --a ligação da central com o partido hoje na situação é histórica, e seu apoio nas últimas eleições foi importante para a vitória de Obama em Estados com grande número de operários brancos.

Sweeney e sua organização lutam hoje no Congresso pela aprovação da Lei pela Livre Escolha do Empregado, que foi apresentada na terça e torna menos difícil o processo de sindicalização nos EUA. Os empresários norte-americanos se opõem à lei, dizendo que na prática ela pode coagir trabalhadores a se sindicalizarem.

Representantes dos governos do Brasil e dos EUA se reúnem hoje na sede do Executivo norte-americano para acertar detalhes do formato do primeiro encontro entre Lula e Obama, como a localização exata na Casa Branca, a duração e o tipo de participação da imprensa. Não está confirmado ainda se a reunião acontecerá no Salão Oval. Se for no escritório histórico, Lula será o primeiro presidente a visitar Obama ali --os visitantes anteriores foram primeiros-ministros, o japonês Taro Aso e o britânico Gordon Brown.

O brasileiro chega a Washington amanhã à noite e estará acompanhado dos ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e Celso Amorim (Relações Exteriores). Na tarde de sábado, depois dos dois encontros e um almoço com o embaixador Antonio Patriota, Lula parte para Nova York, onde o estarão esperando Guido Mantega (Fazenda), o presidente do BC, Henrique Meirelles, e o do BNDES, Luciano Coutinho.

Na segunda, participa de evento promovido pelos diários "Valor Econômico" e "Wall Street Journal".



Escrito por Sérgio Dávila às 12h46
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Ronco e riso na sala de imprensa da Casa Branca

 

Quem cochilou na sala de imprensa da Casa Branca na manhã de hoje? O mistério tomou a blogosfera assim que o vídeo caiu na rede. Entrevistas coletivas costumam ser tediosas, mas até que Robert Gibbs é um dos mais engraçados entre os porta-vozes recentes. Alguém checou o mapa da sala de imprensa --sim, há um lugar marcada para cada veículo e, com exceção dos britânicos, imprensa estrangeira não tem vez. A roncadora estava no lugar do Wall Street Journal. Logo descobriram que era a repórter Laura Meckler. Por fim, a justificativa: ela está grávida...

*

Enquanto isso, o "repórter" John Oliver, do programa de Jon Stewart, tem sua tarde de "enviado especial à Casa Branca". Segura uma placa com a frase "me escolha" para o porta-voz e entrevista a veterana Helen Thomas, que parece duvidar se o jornalista à sua frente é mesmo para valer. Gibbs dá o direito da palavra a Oliver, que faz uma pergunta rocambolesca --todos param para ver quem é o maluco. Ele completa o vídeo entrevistando os correspondentes de verdade, como o novo rosto da CNN naquele posto, Dan Lothian.

A primeira pergunta: "Deve ser excitante quando o porta-voz sobre no pódio e recita exatamente o que você deve escrever, não?"

 



Escrito por Sérgio Dávila às 00h11
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

E-mail, GPS, DNA, LCD - as melhores inovações dos últimos 30 anos

 

A lista é da Wharton School da universidade da Pensilvânia, feita pela publicação Knowledge @ Wharton, em associação com o programa "Nightly Business Report", da rede pública PBS, que completa 30 anos. Na opinião desse blogueiro, faltou... o blog --citado até pelo presidente Barack Obama (embora de maneira negativa) em entrevista publicada hoje no New York Times --leia íntegra aqui, em português. De qualquer modo, entraram a Internet, o e-mail, os sites de relacionamento social, os celulares, o software Office, o software aberto, a banda larga, o PC, os laptops, os sites de venda e de leilão virtual...

A lista completa:

Fiber opticsOpen source software
BiofuelsMobile phones
MicrofinancePhotovoltaic cells
Anti-retroviral AIDS treatmentLCDs
Bar codesE-mail
Media file compressionGUI
MicroprocessorDigital photgraphy
InternetRFID
Office softwareE-commerce
Non-invasive surgeryPC/Laptops
MRIDNA sequencing
SRAM/Flash memoryATMs
Wind turbinesStents
GPSLEDs
Genetically modified plantsSocial networks on Internet


Escrito por Sérgio Dávila às 16h55
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Nixon volta à vida política dos EUA


Veja minha análise em meu programa semanal do UOL Notícias.



Escrito por Sérgio Dávila às 16h52
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Casa Branca erra nome de Lula --duas vezes

No comunicado oficial, que você lê abaixo, a Casa Branca erra o nome do presidente brasileiro duas vezes. Escreve "Luis", em vez de Luiz, e "Ignacio", em vez de Inácio --além, é claro, das aspas em "Lula", que há anos não é mais apelido, mas nome oficial do político. O resto, espera-se, está certo: a reunião de trabalho acontece mesmo no dia 14, sábado que vem, na sede do Executivo norte-americano. [Obrigado ao Renan pela dica]

 

THE WHITE HOUSE

Office of the Press Secretary

_____________________________________________________________________________

For Immediate Release                           March 5, 2009

  

Upcoming Working Visit by President Luis Ignacio “Lula” Da Silva of Brazil to Washington

 

President Obama will meet with President Luis Ignacio “Lula” Da Silva of Brazil at the White House on Saturday, March 14.  Brazil is a close friend and partner of the United States and the President looks forward to discussing ways in which the two countries can strengthen cooperation on global and hemispheric challenges.  The President looks forward to consulting with President Lula on effective measures to respond to the global financial crisis during the upcoming G-20 meeting, ensuring a productive agenda for the Summit of the Americas in April, and on ways to deepen cooperation on other wide-ranging issues in the bilateral relationship.

 *

Atualização: avisados dos erros, acabaram de postar uma versão corrigida. Mas as aspas em "Lula" continuam...

*

Nova atualização: finalmente, tiraram as aspas. Agora vai.



Escrito por Sérgio Dávila às 17h01
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

E a Casa Branca ganha o "primeiro-parquinho"

 

Se o pai tem direito a uma quadra de basquete (ainda em reforma, não-inaugurada) e a mãe, a uma sala de ginástica (usada pelos dois, na verdade, e já reformada), as filhas ganharam o direito ao parquinho particular. Quando voltaram da escola, hoje, Malia e Sasha foram recebidas por um balanço e um "escorregador-combo". Barack e Michelle Obama mandaram instalar de surpresa enquanto as filhas de 10 e 7 anos estavam fora de casa --no caso, da Casa Branca. Fica no gramado sul, no raio de visão do Salão Oval. Ou seja, papai vai poder dar uma olhada nas filhas enquanto trabalha...

O modelo é o "Rainbow Castle" (castelo do arco-íris), de uma empresa de Dakota do Sul, escolhida depois de concorrência informal da qual participaram outras quatro firmas. É feito de cedro e sequóia canadense. Como não estamos falando de uma residência qualquer, a mesa de piquenique que você vê ao fundo traz o nome dos 44 presidentes norte-americanos. O valor? cerca de US$ 3,3 mil, que o casal pagou do próprio bolso. E assim o 1600 da avenida Pensilvânia vai ficando mais humano.

The Obama's new swing set was set up while their daughters, Malia and Sasha, were at school.

 



Escrito por Sérgio Dávila às 01h53
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

NYTimes e WPost falam de Obama grisalho

Nas edições de quinta-feira, aqui e aqui. Depois dos braços da primeira-dama, os cabelos do presidente. Assim, os novos ocupantes da Casa Branca vão sendo dissecados, fatia por fatia...



Escrito por Sérgio Dávila às 02h09
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

PCC atua no exterior, dizem EUA

Os grupos criminosos brasileiros Primeiro Comando da Capital (PCC), de São Paulo, e Comando Vermelho (CV), do Rio de Janeiro, aumentaram sua presença internacional, atuando em países como Bolívia, Paraguai e, "possivelmente", Portugal. A afirmação é de relatório anual do Departamento de Estado dos EUA que traça um painel amplo da situação das drogas no mundo.

Segundo o texto, divulgado na sexta-feira, crescem também as ligações dos dois grupos com traficantes colombianos e mexicanos. A renda da colaboração internacional ajudaria o PCC e o CV a comprarem armas e a manterem o controle de favelas em cidades como Rio e São Paulo. A conclusão vem a público num momento em que Portugal especula sobre a presença de dois supostos membros do grupo no país e a criação de uma facção local da gangue.

O relatório, que nesse ano chega a 638 páginas, é elaborado por ordem do Congresso dos EUA e, apesar de ser divulgado já na gestão do democrata Barack Obama, refere-se a 2008 e foi feito ainda sob a administração de seu antecessor, o republicano George W. Bush. Autoridades brasileiras que investigam a internacionalização do PCC são céticas quanto às conclusões sobre a presença do grupo em Portugal.

Ainda assim, o texto casa com relatos na imprensa daquele país sobre o surgimento do que batizaram de "PCP - Primeiro Comando de Portugal", que seria uma ramificação do grupo formada por imigrantes brasileiros, com atuação principalmente na Margem Sul do Tejo, na Grande Lisboa, e presença até no site de relacionamento Orkut. Jornais como "Diário de Notícias" e "Correio da Manhã" citam fontes policiais para apontar a ligação de dois brasileiros ao "PCP".

Um deles seria Edivaldo Rodrigues, preso em 2008, acusado de ter matado um ourives em Setúbal, ao sul de Lisboa. O outro seria o hoje foragido Moisés Teixeira da Silva, o "Cabelo", segundo a Polícia Federal brasileira um dos mentores do furto de R$ 164,7 milhões do Banco Central de Fortaleza, em 2005, o maior do país. Autoridades portuguesas não comentam a existência do grupo nem a ligação dos suspeitos.

No relatório da chancelaria norte-americana, intitulado "International Narcotics Control Strategy Report - 2009" (Relatório da Estratégia de Controle de Narcóticos Internacionais), Portugal é apontado como o porto de entrada para a Europa da cocaína traficada de países andinos via Brasil e Venezuela, com primeira escala em países do Oeste da África.

O texto diz que a droga produzida na Bolívia entra pelo Brasil via Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e por Guaíra, no Paraná. "A cidade se tornou um dos principais pontos de entrada de armas, munição e drogas do Brasil", afirma o Departamento de Estado, que cita investigação do Congresso brasileiro para dizer que o PCC "conduz abertamente a venda de armas naquela área". O levantamento usa tanto inteligência própria como a que é cedida pelos países citados.

Sobre o Brasil em geral, o texto afirma que o país é um dos vinte principais produtores e corredores de drogas do mundo e um dos 60 considerados os maiores lavadores de dinheiro (EUA e Reino Unido incluídos). Afirma ainda que é o segundo maior consumidor de cocaína, atrás apenas dos EUA.

Apesar de protestos dos governos do Brasil, Argentina e Paraguai, a chancelaria continua acreditando que a região da Tríplice Fronteira é fonte de financiamento para terroristas --os nomes dos grupos radicais Hezbollah e Hamas são mencionados como beneficiados. A Galeria Pagé e a Casa Hamsa, em Ciudad del Este, seriam "usadas para gerar ou movimentar fundos terroristas".



Escrito por Sérgio Dávila às 14h37
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Michelle Obama e o escândalo da manga

 

Blog também é futilidade: a nova primeira-dama norte-americana está envolvida em um escândalo. Como estamos na terra de Bob Woodward e Carl Bernstein, todo escândalo de Washington acaba com "gate". No caso, é o "sleevegate", que eu traduzo como "mangagate". Discute a blogosfera furiosa se Michelle Obama estaria diminuindo a liturgia do cargo (problema: primeira-dama não é cargo) ao aparecer em várias cerimônias oficiais com vestido sem manga. A ocasião mais recente e ruidosa foi o primeiro pronunciamento do marido ao Congresso, na semana passada. Na sequência, a Casa Branca divulgou a foto oficial da primeira-dama --de vestido sem manga. (Vem cá, e o "right to bare arms"? --desculpe, não resisti ao trocadilho).

*

E a consultora de moda do blog diz que Michelle passou a campanha inteira malhando para conseguir o atual "braço de bater palma em público"... 

 Foto oficial

No pronunciamento

Na cozinha da Casa Banca, em evento com estudantes de culinária

Inspiração

 



Escrito por Sérgio Dávila às 03h34
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]

Máfia cobra juros mais baixos que bancos brasileiros

 

O título desse blog é fato, não opinião. O jornal "Washington Post" publicou reportagem de primeira página hoje dizendo que cada vez mais empresa italianas recorrem à Máfia para fechar as contas do mês. É que os bancos locais, que são historicamente mão-fechada na hora de emprestar se comparados com os padrões internacionais, fecharam ainda mais o cofre na crise atual. Com o crédito seco,estima-se que 180 mil empresas italianas tenham ido bater na porta da organização criminosa (a Máfia, que fique claro) para conseguir honrar os compromissos.

Um detalhe chamou minha atenção: segundo a reportagem do diário norte-americano, os mafiosos cobram em média 120% de juros ao ano. Fui vasculhar e achei reportagem desse UOL do fim do ano passado segundo a qual os bancos brasileiros cobram hoje 191,75% de juros no cheque especial, em média, por ano. Essa porcentagem saltou 34 pontos em 2008, no mesmo período em que a taxa Selic de juros subiu apenas 2,5 pontos.

Faça as contas: se o brasileiro entrar R$ 500 no cheque especial, pagará juros de R$ 959,75 ao final de um ano. Se pedir o mesmo valor para um mafioso, terá de morrer "apenas" com R$ 600 de juros. A diferença está no que acontece se você não pagar em dia: com a Cosa Nostra italiana talvez dê para negociar...

 



Escrito por Sérgio Dávila às 17h42
[comente] [Regras para comentários] [envie esta mensagem]